sábado, 29 de janeiro de 2011

Teus Segredos

Teus Segredos

Fernando e Sorocaba

Será que amar sozinho vai ser a minha sina
Já conheço você mais do que imagina
Sua cor preferida é o verde
Seu aniversário é dia três
Adora mexer no cabelo
Curte rock e fala inglês
Odeia filme de terror
Canta e toca violão
Tem ciúmes dos amigos
Tem medo de escuridão

Aah, eu amo você
Teus segredos, vou aprender a decifrar
Teus desejos, me ensina a realizar
Eu te estudo, te admiro, te espero
Será que um dia vai me amar

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Exceções

Na verdade, Angela..."O que me mata é o cotidiano. Eu queria só exceções."

Clarice Lispector

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

O Amor mais bonito

No instante que me iludo é quando você me esquece. Quando volto à tona, você mergulha nos meus olhos. Se eu te roubo rosas vermelhas, você faz "bem-me-que". Quando hesito, é quando você já está na estrada.

Se me perco no teu beijo, você fica tentando encontrar um caminho. Quando me encho de receio, você me diz estar pronto. Eu te ponho em xeque-mate, você me diz que cansou de jogar. Quando não quero me machucar, você me telefona no meio da noite.

Eu vejo o sol nascer no mar, você se preocupa em não molhar os pés. Quando eu não durmo, é quando você sonha loucuras sobre nós dois. Quando sinto teu gosto na minha boca, você pede economia nos clichês. Se não quero parecer patética, você se diz um poema apaixonado.

Eu quero parar o tempo, você procura seu relógio embaixo na cama. Quando me escondo, é quando você me quer em cima de você. Se apresso meu passo na sua direção, você engata a marcha ré. Quando reúno meus pedaços, você dá o coração para bater.

Eu deito no seu colo, você se preocupa em fechar a janela. Quando me poupo, é o instante que você se dá de graça. Se ando em alta velocidade, você conta os níqueis pro pedágio. Eu perco as chaves, você insinua mudar pro meu apartamento.

Um amor físico, fatídico, real, raro e patente. Um amor que nasceu, mas nunca viveu. Um amor que aconteceu, mas não foi ocupado. Os amores mais bonitos, são aqueles que nunca foram usados.

Gabito Nunes - Caras como eu

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Se você sabe conviver com pessoas intempestivas, emotivas, vulneráveis, amáveis, que explodem na emoção: acolha-me
Clarisse Lispector

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Uma árvore em flor fica despida no outono. A beleza transforma-se em feiúra, a juventude em velhice e o erro em virtude. Nada fica sempre igual e nada existe realmente. Portanto, as aparências e o vazio existem simultaneamente.

Dalai Lama

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Erros

"Sempre que erro, aprendo a errar melhor."

Carascomoeu - Gabito Nunes

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Re-amar

"Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou. Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também. Porque sozinha, não vou. Não tem como remar sozinha, eu ficaria girando em torno de mim mesma. Mas olha, eu só entro nesse barco se você prometer remar também! Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia. Mas você tem que prometer que vai remar também, com vontade! Eu começo a ler sobre política, futebol, ficção científica. Aprendo a pescar, se precisar. Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena. Remar. Re-amar. Amar."

Caio Fernando Abreu

"Dá um certo trabalho decodificar todas as emoções contraditórias, confusas, somá-las, diminuí-las e tirar essa síntese numa palavra só, esta: gosto."

Caio Fernando Abreu

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Até parece que as mobilias que enchem a
minha casa vão preenchar vazios, desgostos.
Por um momento parece que passo uma pequena massa fina,
incobrindo um vão enorme de saudades, ilusões e alguns sonhos perdidos pelo caminho...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

As pirâmides que novamente construíste
Não me parecem novas, nem estranhas;
Apenas as mesmas com novas vestimentas.

William Shakespeare

sábado, 8 de janeiro de 2011

Aqui está-se sossegado,
Longe do mundo e da vida,
Cheio de não ter passado,
Até o futuro se olvida.
Aqui está-se sossegado.

Fernando Pessoa

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

E os ares começam ter novos cheiros, cheiros especiais...
Web Analytics